Dinamarca terá parque urbano para desenvolver agricultura sustentável

agro

A área rural da cidade de Aarhus, na Dinamarca, poderá ser o Vale do Silício da agricultura sustentável até 2030. Na região fica o hub de inovação agrícola Agro Food Park (AFP). Ele irá reunir especialistas em ciência alimentar e 75 companhias do ramo para desenvolver formas de cultivar alimentos mais saudáveis com menor impacto ambiental.

Dentro do complexo, será desenvolvido um ambiente urbano que também irá funcionar de forma sustentável. O Agro Food Park foi fundado em 2009 pelo Danish Agriculture & Food Council (Conselho Dinamarquês de Agricultura e Comida) para ser o principal centro de inovação alimentar da Dinamarca, além de um dos melhores do mundo. No local, “produtos do futuro” são criados por empresas e instituições de ensino e pesquisa de forma cooperativa. O parque emprega aproximadamente 1.000 funcionários.

Em agosto deste ano, o complexo lançou um plano de desenvolvimento para empregar 3.000 pessoas que irão trabalhar exclusivamente na agricultura sustentável. Além de servir como referência para o desenvolvimento futuro da indústria global de alimentos, o projeto irá combinar densidade urbana com campos de testes agrícolas, incluindo negócios, vida acadêmica e estabelecimentos comerciais.

Como funcionará o complexo

O plano tem o objetivo de aprimorar cinco campos da agricultura sustentável: materiais, energia limpa, aumento da biodiversidade, ar puro e água limpa. Para comportar a nova estrutura, a área será aumentada para 280.000 m². Hoje, o parque mede 44.000 m².

“Nós estamos no século ecológico. Após décadas de destruição do clima, água e terras, chegou a hora de restaurar e reabastecer os recursos biológicos do nosso planeta para todas as espécies”, disse William McDonough, um dos empresários por trás do novo projeto. O FDA deverá funcionar como um exemplo de cidade que não emite carbono e só trabalha com água, ar, solo e energia limpas.

Ao combinar desenvolvimento urbano e agrícola dentro de um conceito sustentável, o AFP pretende criar valor econômico dentro dessa infra-estrutura. A cidade será basicamente composta por três áreas principais: “Lawn”, o espaço verde comum central; “Strip”, a rua principal, e as “Plazas”, bairros que unem conjuntos de edifícios para moradores.

A agricultura sustentável como modelo

Em comunicado divulgado pelo Agro Food Park, o complexo chama atenção para a importância da troca de conhecimento entre pesquisadores para desenvolver um futuro sustentável na área agrícola. “A indústria alimentícia deve desenvolver novos conhecimentos, novos produtos e entrar em parcerias inovadoras com a cabeça aberta”, disse Karen Hækkerup, diretora do Danish
Agriculture & Food Council.

Companhias interessadas devem entrar em contato com o Agro Food Park para compartilhar planos de desenvolvimento. “Agro Food Park é, de muitas formas, um modelo que irá indicar como serão os parques industriais do futuro”, afirmou Kristian Wurz, conselheiro da Departamento de Tecnologia e Ambiente da cidade de Aarhus. “Parques industriais podem facilmente se tornar desertos gigantes e poucos inspiradores que geram muito tráfico e pessoas isoladas. O Agro Food Park traz uma abordagem totalmente diferente”, concluiu.

Fonte: Free the Essence, por Camila Luz

Comentários

Mais Lidas

Técnicas de plantio, manejo e colheita para estimular o cultivo e consumo de hortaliças. Esses conceitos são detalhados na cartilha Horta em Casa. A iniciativa é de profission
29/04/2015
Uma casa sustentável definida como ”padrão europeu” chamou a atenção dos moradores de Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul. A construção foi feita em apenas seis d
04/07/2016
A bioconstrução se baseia no princípio de que é possível construir tendo um impacto ambiental muito baixo. Para promover este conceito e apresentar técnicas práticas, o Mini
04/02/2016
Andar de bicicleta é uma tendência mundial. Pode reparar que esta aumentando o número de ciclistas, principalmente nas grandes cidades. E olha só esta novidade: uma ciclovia gi
16/12/2015

Ultimas Notícias

As perdas econômicas totais por catástrofes naturais e desastres causados pelo homem totalizaram US$ 175 bilhões em 2016, quase o dobro dos US$ 94 bilhões de 2015, de acordo co
28/03/2017
Todos os anos, até 190 000 toneladas de microfibras de plástico libertadas pela nossa roupa invadem os oceanos, estimou o grupo de consultadoria Eunomia. Este é o peso de 1357 b
28/03/2017
Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul, tem novidades! A cidade ganhou uma intervenção urbana, batizada de Parada Verde. Na verdade, trata-se de um projeto de restauração de um po
28/03/2017
Há dois anos, o fotógrafo canadense Luke Keegan, que vive em Oakland, na Califórnia, resolveu dar uma nova finalidade para o seu jardim. Ele transformou o gramado em frente à s
27/03/2017

Facebook

Twitter

647 people follow ecoguiabr
Othimize Othimize DalvaEstevam DalvaEst fmacedo_roberto fmacedo_ contemar contemar CleversonZambon Cleverso jgdiniz jgdiniz mariajesuscache mariajes cescon_imoveis cescon_i jose_rrj jose_rrj rodriguesdiegoo rodrigue RobervalMarco Roberval lulle63 lulle63

Google+