Os países com maior potencial para carros elétricos

10/01/2017
Fonte:

Com mais de 100 mil carros elétricos nas ruas, a Noruega pode ser considerada o país mais entusiasta dos “verdinhos”, tendo em vista o tamanho de sua população. Na última década, o governo norueguês trabalhou com afinco para eliminar impostos sobre os veículos limpos e foi ainda mais longe, oferecendo estacionamento gratuito e acesso a corredores de ônibus.

Tais esforços notáveis podem ajudar a abrir as estradas de países maiores e com bem mais potencial que o país nórdico para alavancar o mercado de modelos elétricos.

Em estudo recente, a consultoria Accenture analisou 14 mercados domésticos em relação ao potencial para veículos verdes: Brasil, Canadá, China, França, Alemanha, Índia, Japão, Holanda, Noruega, Rússia, Coreia do Sul, Suécia, Reino Unido e Estados Unidos.

De acordo com a pesquisa, a combinação de fatores tecnológicos, econômicos e políticos poderia gerar novas oportunidades de investimento nesses mercados.

Mercados mais promissores

Dois gigantes, China e Estados Unidos foram classificados como os melhores países, pois apresentam um extenso mercado e potencial para crescimento.

Cada país foi avaliado a partir de uma variedade de fatores políticos (subsídios monetários governamentais únicos na compra e pós-compra, regulamentações governamentais não monetárias e infraestrutura de carregamento); econômicos (preço de compra e do combustível, além do número de possíveis compradores) e tecnológicos (intervalo e tempo de carga).

Canadá, França, Alemanha, Japão, Holanda, Noruega, Coreia do Sul, Suécia e Reino Unido foram classificados como países com potencial elevado por suas altas perspectivas de crescimento até 2020, mas com um mercado limitado no setor atualmente.

Eles foram tipificados com base nos planos dos respectivos governos para investimentos significativos com o objetivo de tornar este tipo de veículo mais atraente.

Mercados hesitantes

Os outros três mercados, formados por Brasil, Índia e Rússia foram classificados como hesitantes pela Accenture devido à pequena dimensão do mercado e baixa taxa de crescimento esperada.

Estes mercados caracterizam-se pela ausência de infraestruturas públicas de carregamento e pelos baixos preços dos combustíveis, independentemente dos atuais preços baixos do petróleo. Esta combinação torna os veículos elétricos economicamente pouco atraentes nessas regiões. Mas isso não é imutável.

“O que está claro é que a política governamental pode mudar rapidamente as regras do jogo, mais do que qualquer outro fator. Por exemplo, a China estabeleceu metas para carros elétricos e híbridos plug-in para que eles componham até 7% do total de vendas de automóveis em 2020 e, 40%, em 2030”, observa Christina Raab, diretora executiva da Accenture para a prática automotiva, em comunicado.

Fonte: Exame.com, por Vanessa Barbosa

Comentários

Mais Lidas

Técnicas de plantio, manejo e colheita para estimular o cultivo e consumo de hortaliças. Esses conceitos são detalhados na cartilha Horta em Casa. A iniciativa é de profission
29/04/2015
Uma casa sustentável definida como ”padrão europeu” chamou a atenção dos moradores de Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul. A construção foi feita em apenas seis d
04/07/2016
A bioconstrução se baseia no princípio de que é possível construir tendo um impacto ambiental muito baixo. Para promover este conceito e apresentar técnicas práticas, o Mini
04/02/2016
Andar de bicicleta é uma tendência mundial. Pode reparar que esta aumentando o número de ciclistas, principalmente nas grandes cidades. E olha só esta novidade: uma ciclovia gi
16/12/2015

Ultimas Notícias

O consumo crescente de antidepressivos tem um efeito colateral preocupante no meio ambiente: a maior exposição de animais marinhos ao acúmulo dessas substâncias químicas nas
05/09/2017
O arquiteto italiano Giancarlo Zema projetou uma casa um pouco diferente das que estamos acostumados a ver. Batizada de “WaterNest 100”, ela é uma casa circular flutuante, ou
01/09/2017
Nessas últimas semanas, a Floresta Amazônica ganhou os holofotes por conta de novas determinações do governo federal que, em 24 de agosto de 2017, publicou uma revogação do d
01/09/2017
Um total de 1.559 municípios brasileiros (quase 30% do total) recorreram aos lixões a céu aberto em 2016, o que significa que pela primeira vez em sete anos, desde a criação d
01/09/2017

Facebook

Twitter

660 people follow ecoguiabr
PPFEnergia PPFEnerg MariannaWilken Marianna vncbhz vncbhz sdf_fashion sdf_fash giovanetoledo giovanet EvertonLang1 EvertonL IngriddeFreit15 Ingridde somoslatribu_ somoslat gestor_fabio gestor_f dparroyo dparroyo EPSeReciclavel EPSeReci gui_am_ gui_am_

Google+