Reúso de água ganha espaço para crescer no Brasil

reuso

Até pouco tempo atrás o termo água de reúso era pouco conhecido da população em geral. Mas bastou a escassez hídrica se tornar a grande preocupação no maior centro urbano do País para que assuntos como economia e reúso de água passassem a fazer parte da conversa de, pelo menos, 18 milhões de pessoas.

Entre vários aprendizados, a crise hídrica de São Paulo em 2014 mostrou a necessidade urgente de buscar alternativas à água potável. Ficou claro que o aproveitamento de águas pluviais e as tecnologias de reúso reduzem a demanda sobre os mananciais e, mesmo que as chuvas de 2015 e 2016 tenham apaziguado momentaneamente a questão, o debate permanece.

De lá para cá, o reúso de água apresentou crescimento tímido no País. Mesmo assim, a expectativa é que ele ganhe espaço nos próximos anos, principalmente na indústria. Isso porque o arcabouço legal para a água de reúso, um antigo entrave, começou a ser desenvolvido.

Muitos especialistas já haviam apontado que a falta de padrão nas legislações municipais e estaduais para que os investimentos em reúso de água fossem ampliados consistia na maior dificuldade para a implementação de novos projetos.

A favor do reúso

Hoje tramitam no Congresso Nacional projetos de lei em prol do reúso, com textos dedicados a subsídios para empresas, redução de custos e diminuição de impostos para equipamentos utilizados em reúso, por exemplo. Há ainda uma iniciativa do Ministério das Cidades de criar a Política Nacional de Reúso de Água.

As indústrias também estão se mexendo. Sabe-se que o reúso contribui para a redução da captação de água tratada, gera economia e minimiza riscos de futuros períodos de escassez. A própria Confederação Nacional das Indústrias (CNI) apresentou no ano passado propostas de alteração da Lei Federal de Saneamento Básico.

O objetivo das propostas é incentivar o investimento na construção de plantas que tratem os esgotos para produção de água e para garantir que os compradores de água de reúso recebam o recurso na qualidade, periodicidade e preço compatíveis com a demanda.

Como se vê, com o desenvolvimento de um arcabouço jurídico, cada vez mais, o caminho estará aberto para investimentos em infraestrutura por parte das empresas. No Grupo de Economia da Infraestrutura & Soluções Ambientais da FGV, especialistas têm estudado uma proposta para vincular a quantidade que uma empresa capta de água da natureza à parcela de reúso.

“Esse debate precisa avançar. A gente não pode esperar uma nova crise hídrica, como a que enfrentamos em São Paulo em 2014, para colocar esse assunto em pauta novamente”, afirma Fernando Santos Reis, que presidiu a Odebrecht Ambiental nos últimos 9 anos.

Referência em reúso na indústria
O maior projeto de água de reúso para fins industriais do hemisfério Sul abastece o Polo Petroquímico de Capuava, em Mauá (SP), e outras empresas da região do ABC paulista. Batizado de Aquapolo, o empreendimento é fruto de uma sociedade formada entre a Odebrecht Ambiental e a Sabesp, e foi criado para atender, inicialmente, unidades fabris de cinco empresas do Polo Petroquímico da região: Braskem, Cabot, Oxicap, Oxiteno e White Martins.

Os números do Aquapolo são impressionantes. Além do aumento da oferta de água potável para a região metropolitana de São Paulo, o Aquapolo se mostrou uma solução economicamente viável e interessante para a indústria. Para se ter uma ideia do que o projeto representa em termos ambientais, as empresas contempladas deixaram de usar mensalmente 900 milhões de litros de água potável. A água de reúso para fins industriais custa, em média, 50% menos do que a água potável.

“Com o Aquapolo foi equacionado um enorme passivo ambiental e ainda foram obtidos ganhos econômicos em um insumo essencial. O sucesso do Aquapolo mostra que as soluções existem e, de fato, funcionam”.

O projeto deu tão certo que cresceu. Inicialmente o Aquapolo atendia exclusivamente as empresas do Polo Petroquímico do ABC, mas hoje duas grandes indústrias da região já estão conectadas ao projeto e uma terceira está em implantação. Juntas elas consomem aproximadamente 53.000 m³/mês de água de reúso.

Os resultados do Aquapolo estão aí para comprovar que há tecnologia economicamente viável para se conseguir alternativas de água potável para a indústria. Com o arcabouço legal e o modelo Aquapolo novos projetos podem ser explorados em outros centros industriais espalhados pelo Brasil.

Fonte: DINO

 

Comentários

Mais Lidas

Técnicas de plantio, manejo e colheita para estimular o cultivo e consumo de hortaliças. Esses conceitos são detalhados na cartilha Horta em Casa. A iniciativa é de profission
29/04/2015
Uma casa sustentável definida como ”padrão europeu” chamou a atenção dos moradores de Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul. A construção foi feita em apenas seis d
04/07/2016
A bioconstrução se baseia no princípio de que é possível construir tendo um impacto ambiental muito baixo. Para promover este conceito e apresentar técnicas práticas, o Mini
04/02/2016
Andar de bicicleta é uma tendência mundial. Pode reparar que esta aumentando o número de ciclistas, principalmente nas grandes cidades. E olha só esta novidade: uma ciclovia gi
16/12/2015

Ultimas Notícias

A cidade de Aparecida, localizada na região administrativa de São José dos Campos, anunciou que irá construir 62 moradias para famílias de baixa renda que contém placas fotov
23/06/2017
A Itaipu Binacional inaugurou, em Foz do Iguaçu, no Paraná, uma unidade de demonstração de biogás e biometano. A planta é a primeira do Brasil que utiliza como matéria-prima
23/06/2017
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, propôs a instalação de painéis solares no muro que quer erguer na fronteira com o México para que a energia produzida ajude a fi
23/06/2017
O governo da Noruega informou nesta sexta-feira ao presidente Michel Temer, em visita ao país, que vai reduzir pela metade os recursos destinados a proteger a floresta amazônica
23/06/2017

Facebook

Twitter

655 people follow ecoguiabr
BRKAmbiental BRKAmbie eltonmartinsg12 eltonmar almontdobrasil almontdo SamuelRacional SamuelRa BrendoMarcio01 BrendoMa hidraluxoficial hidralux abgularte abgulart LuizRoncaglione LuizRonc thaniscastro thanisca carrosbaratos1 carrosba ovenenozo ovenenoz anabaganha anabagan

Google+